Grupo Hospitalar Conceição

1. Acolhimento

Baseado na política de humanização, do Ministério da Saúde o Acolhimento é uma forma de ação técnica e assistencial que muda a relação dos profissionais da saúde com os usuários a partir do compromisso com os processos de responsabilização e vínculo. O Acolhimento, implantado nas Emergência dos hospitais Conceição e Fêmina e, em breve, nas novas emergências do Cristo Redentor e Criança Conceição, faz parte do Programa QualiSUS do Ministério da Saúde. Com a regionalização do atendimento proposta pelo gestor municipal, por meio do qual o Conceição garante o atendimento a gestantes encaminhadas de 39 postos de saúde da Capital, houve um aumento no número de nascimentos na instituição. Passou de cerca de 300 para aproximadamente 500 partos mensais. Com isso, o Conceição tem a maior maternidade do Rio Grande do Sul em número de nascimentos. O hospital é também referência no Estado para gestação de alto risco.


2. Banco de Leite

O Banco de Leite Humano da instituição é referência para profissionais de saúde do Cone Sul em treinamento de pessoal e troca de informações técnico-científicas. A unidade faz a captação e a pasteurização do leite materno a ser consumido por bebês do próprio hospital cujas mães não podem amamentar. Há também um disque-amamentação para esclarecer dúvidas, fone (51) 3314-5353 . Esse serviço é fundamental, uma vez que o Fêmina faz 27% dos partos de Porto Alegre, sendo mais de 500 por mês.


3. Brasil Sorridente

O Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) do Hospital Conceição é unidade de referência em especialidades da área de saúde bucal. O CEO foi implementado com incentivos do Programa Brasil Sorridente, do Governo Federal. Esse programa busca dar assistência integral à saúde bucal, com ações de promoção e prevenção. No CEO, os pacientes do SUS contam com tratamentos como periodontia (tratamento da gengiva), endodontia (tratamento de canal), prótese e pequenas cirurgias.


4. Combate ao Crack

A política de atenção aos usuários de drogas do GHC é referência no tratamento de dependentes químicos, especialmente de crack. O Consultório de Rua, o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas para adultos e o CAPSi (Infância e Adolescência), são considerados pelo Ministério da Saúde iniciativas bem sucedidas dentre os serviços de saúde. Outro destaque foi a criação da Unidade de Internação Psiquiátrica para Adolescentes do Hospital Conceição. O local, que conta com atendimento multiprofissional, dispõe de oito leitos para dependentes de crack e de outras drogas e trata apenas meninas com idade entre 12 e 18 anos.


5. Doação de órgãos

Uma visão de solidariedade, humanização e participação social.

O Grupo Hospitalar Conceição dispõe de Comissões Intra-hospitalares de Captação de Órgãos e Tecidos para Transplantes, formadas por equipes multidisciplinares que têm o papel de abordar os familiares de pacientes que foram ao óbito, para o conssentimento da doação de órgãos e tecidos. As comissões atuam em plantão 24 horas. Depois que a família consente com a doação, a comissão aciona a Central de Transplantes do Estado do Rio Grande do Sul, que manda uma equipe ao hospital para a retirada dos órgãos. Os receptores são de uma lista única e seguem os critérios da Central de Transplantes. Todo o processo é realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

As Comissões de Captação de Órgãos e Tecidos do GHC podem ser acionadas pelos telefones:

Hospital Conceição: (51) 3357.2206

Hospital Cristo Redentor: (51) 3357.4234

Hospital Criança Conceição: (51) 3357.2287

Hospital Fêmina: (51) 3214.5200


6. Doação de Sangue

O Banco de Sangue do Grupo Hospitalar Conceição está localizado no 2º andar do ambulatório no Hospital Conceição, Av. Francisco Trein, 596, Porto Alegre /RS. O atendimento para doação de sangue funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 17h e aos sábados, das 7h30min às 12h.
Condições básicas para doação de sangue:
O doador deverá trazer documento oficial com foto;
Deverá ter ingerido alimentação leve sem gordura;
Idade entre 16 e 69 anos;
Pesar mais de 50 quilos;
Não estar gripado;
Não ter tido hepatite ou doença de chagas;
Não ter recebido sangue nos últimos 12 meses;
Não ter feito tatuagem nos últimos 12 meses;
Não ser portador de HIV;
Não ser usuário de drogas;
Não estar grávida, nem ter tido parto normal ou aborto a menos de 3 meses;
Não ter estado detido em instituição carcerária nos últimos 12 meses;
A frequência máxima para homens é de quatro doações anuais e para mulheres, três doações anuais. O intervalo mínimo entre duas doações é de dois meses para homens e de três meses para mulheres.
Obs.: Cirurgias, uso de medicações, comportamento de risco, tratamentos dentários, doenças, vacinação e outros serão avaliados em entrevista clínica.
Grupos de pessoas que desejarem fazer a doação de sangue podem agendar pelo telefone (51) 3357-2139.


7. Força Nacional do SUS

A Força Nacional do SUS (FN-SUS), criada para agir no atendimento a vítimas de desastres naturais, calamidades públicas em saúde ou situações de risco epidemiológico, conta com 59 profissionais de saúde. Integram o grupo, médicos, enfermeiros, psiquiatras, profissionais do SOS Emergências e, ainda, nove profissionais do Hospital Israelita Albert Einstein. Desde 2001, o GHC promoveu seis missões de saúde: Timor Leste, Haiti, Alagoas e Pernambuco, Rio de Janeiro, São Lourenço do Sul (RS) e Mato Grosso. Nesse período, foram mais de 10 mil atendimentos. O enfrentamento da Gripe A (H1N1) também foi um destaque em 2009, quando mais de 12 mil pessoas foram avaliadas.


8. Linhas de Cuidado

As Linhas de Cuidado adotadas nos hospitais no GHC são um modelo de organização dos processos de trabalho baseado no atendimento integral e humanizado aos usuários do SUS. Com esse moldelo de atendimento, a pessoa é eixo central da atenção à saúde. Isso implica trabalho em equipe, continuidade no cuidado, acolhimento, vínculo, responsabilização e resolutividade.

Linha de Cuidado Mãe-bebê do HNSC
Respeitando os princípios da humanização e da integralidade da atenção, a Linha de Cuidado Mãe-Bebê (LCMB) promove uma ação articulada e solidária com a rede de saúde do município de Porto Alegre. É assegurado à gestante que realizou o pré-natal em qualquer dos 43 postos de saúde referenciados o atendimento para o parto, a assistência no pós-parto e o encaminhamento, após alta hospitalar, para a continuidade dos cuidados na unidade de saúde mais próxima de sua residência. Oportuniza-se a visita da gestante à maternidade, para conhecer o local e rotinas da assistência. Esta visita não necessita de agendamento, e pode ser realizada a qualquer hora do dia. Ao valorizar a importância do apoio familiar, a LCMB incentiva a presença de um acompanhante de escolha da parturiente durante o processo de parto e nascimento. São oferecidas medidas não farmacológicas para o alívio da dor e a analgesia de parto, trabalhando constantemente na informação e conscientização da saudável opção pelo parto normal, com seus evidentes benefícios para mãe e bebê. A maternidade é reconhecida pela Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IAHC), favorece o contato pele a pele entre mãe e bebe e a amamentação na primeira hora após o nascimento. Também pratica alojamento conjunto para mães e bebês, estimulando e promovendo a amamentação exclusiva até os seis meses do lactente. O Grupo de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo (GIAME) atua desde o pré-natal ao puerpério, passando também pelo setor de gestação de alto risco materno-fetal, oferecendo apoio, estímulo, suporte e informação sobre o aleitamento, e ainda promovendo cursos periódicos de amamentação para sensibilizar e capacitar os profissionais da saúde para esta prática. Igualmente, as mães que estejam com dúvidas/dificuldades sobre amamentação podem ligar para as unidades da LCMB e terão o apoio necessário. Os testes do olhinho e da orelhinha são realizados em todos os recém nascidos. O teste do pezinho é coletado em todos os recém nascidos que no quinto dia de vida ainda persistam no hospital. Com quadro profissional qualificado, nossa maternidade está em constante atualização para oferecer atendimento seguro, de qualidade e humanizado aos usuários.

Linha de Cuidado de Queimados
Na Linha de Cuidado de Queimados do Hospital Cristo Redentor, as pessoas que sofrem algum tipo de queimadura, são acolhidas, tratadas e dispõem de assistência desde a sua entrada no hospital até a sua completa reintegração na sociedade. Dispõe de tecnologia avançada, buscando devolver ao paciente uma vida plena social e funcional.
A Linha de Cuidado de Queimados foi criada em dezembro de 2005 e é formada por uma equipe multidisciplinar composta por médicos clínicos, pediatras, cirurgiões plásticos, anestesistas, psiquiatra, psicólogo, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, nutricionistas, terapeuta ocupacional, fisioterapeutas e assistente social. A Linha de Cuidado conta, ainda, quando necessário, com a consultoria de médicos de outros setores do Hospital Cristo Redentor que é especializado em traumato-ortopedia.

Linha de Cuidado em Neurocirurgia
A Linha de Cuidado em Neurocirurgia do Hospital Cristo Redentor foi criada em abril de 2006 com o objetivo de atuar na recuperação e na reabilitação das pessoas sob cuidados neurocirúrgicos, propiciando, por meio da atuação interdisciplinar dos profissionais da equipe, agilidade e resolutividade no tratamento e reabilitação, impactando na melhoria da qualidade de vida dos usuários.
A Linha inclui o seguinte:
-Programa de Atenção ao Paciente com Tumor Cerebral e/ou Medular;
-Programa de Atenção ao Paciente com Traumatismo Raquimedular (lesão na medula espinhal);
-Programa de Atenção ao Paciente com AVE (derrame), Aneurisma e Traumatismo Crânio-encefálico(TCE);
-Programa de Atenção aos Pacientes com Doenças Neurocirúrgicas de Colunas.

Linha de Cuidado da Dor Torácica
A Linha de Cuidado da Dor Torácica, do Hospital Conceição, foi implantada em outubro de 2006 para prestar um atendimento especializado e integral aos cerca de 50 pacientes que chegam à Emergência do Hospital Conceição com dor no peito, um dos principais sintomas de enfarte ou ataque do miocárdio, a doença que mais mata no mundo. Para acelerar a assistência, foi implantado um protocolo de atendimento que busca diminuir as chances de um ataque cardíaco passar despercebido. Uma vez identificado o enfarte, o sistema permite ainda uma maior rapidez no caminho a ser percorrido pelo paciente em outros setores do hospital. Além disso, o processo libera mais rapidamente os doentes sem o risco de ataque cardíaco. O prontuário eletrônico do Grupo Hospitalar Conceição armazena todos os dados relacionados à dor torácica proporcionando uma continuidade específica e um acompanhamento mais adequado. Como complemento foi lançada a cartilha “Linha de cuidado: dor torácica”. O folheto explicativo é distribuído nas Emergências do Grupo Hospitalar Conceição e nos postos de saúde do Grupo com o objetivo de esclarecer as dúvidas dos usuários com respeito as dores no peito, ataques cardíacos e como, quando e onde procurar assistência.

Linha de Cuidado do Trauma do Idoso
A Linha de Cuidado do Trauma do Idoso do Hospital Cristo Redentor começou a funcionar em novembro de 2006 e destina-se ao atendimento integral e humanizado de pessoas com mais de 60 anos com fratura proximal do fêmur (próxima à bacia). Os pacientes contam com tratamento ágil e acolhedor, possibilitando o rápido retorno às atividades habituais e a reintegração à família. O acesso a essa Linha de Cuidados é pela Emergência do Hospital Cristo Redentor, ou por transferências de outros hospitais do Estado. Além da cirurgia e internação, os pacientes contam com o Programa de Assistência Domiciliar e consultas no ambulatório para a continuidade do tratamento. Todo o atendimento é feito por equipe multiprofissional formada por médicos, equipe de enfermagem, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos, entre outros.A maioria das fraturas de fêmur em idosos ocorre por acidentes domésticos, com maior freqüência nas mulheres. No envelhecimento, fatores biológicos e ambientais facilitam a ocorrência dessas fraturas, sendo a principal causa de acidentes a queda. No Hospital Cristo Redentor, são atendidos mensalmente cerca de 25 casos cirúrgicos com o diagnóstico.

Linha de Cuidado DST/Aids
A Linha de Cuidado em Doenças Sexualmente Transmissíveis DST/Aids prevê a integralidade do atendimento a pessoas vivendo com DST/Aids no âmbito do GHC. Lançada em 1º dezembro de 2006, Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, essa linha inclui múltiplas áreas de assistência, permitindo que os pacientes não precisem recorrer a outros serviços de saúde. A Linha de Cuidado DST/Aids pertence ao serviço de Infectologia do Hospital Conceição e abrange um complexo de atividades voltadas para a assistência tais como, ensino e pesquisa, hospital-dia, unidade de pesquisa clínica, tratamento de lipodistrofia ( efeito colateral dos medicamentos retrovirais que atinge a distribuição de gordura no corpo), internação hospitalar e ambulatório. Este último compreende psiquiatria, casos novos e pacientes que não tenham acompanhamento médico. Na hora da alta, ele já sai com a reconsulta agendada. Outro serviço de ponta no setor é o Programa de Transmissão Vertical (a transmissão do vírus HIV da mãe para o filho). É um atendimento integral voltado para gestantes infectadas pelo HIV. Disponibiliza infectologistas, gineco-obstetras e pediatras para atendimento sem agendamento prévio, facilitando a adesão ao tratamento/profilaxia da transmissão vertical do HIV. Cerca de 60 profissionais da área de saúde estão envolvidos com essa Linha de Cuidado no Hospital Conceição, que está com uma capacidade instalada para 1.020 atendimentos por mês.

Linha de Cuidado Saúde do Trabalhador
A Linha de Cuidado Saúde do Trabalhador é a oitava do GHC e tem como objetivo assegurar a integralidade da atenção e adequação da gestão do cuidado aos mais de sete mil trabalhadores do Grupo. É formalizada por meio de acordo coletivo da Mesa Permanente de Negociação, que abrange os sindicatos que representam todas as categorias de trabalhadores em atividade no GHC. Com a sua implantação, pretende-se, entre outras ações, ampliar o atendimento em ginecologia, a oferta de exames complementares como mamografias e o atendimento em traumato-ortopedia, bem como garantir o fluxo contínuo para realização de cirurgias em traumato-ortopedia. As ações previstas são centradas na assistência e recuperação e na prevenção e controle das causas das doenças por meio da intervenção nos ambientes e processos de trabalho.O serviço de Saúde do Trabalhador do Grupo Conceição possui três unidades: no Hospital Conceição, atendendo a trabalhadores do Conceição, do Criança Conceição e do Serviço de Saúde Comunitária, no Hospital Cristo Redentor e no Hospital Fêmina, para os seus respectivos funcionários. Nessas unidades, os funcionários encontram não só atendimento clínico como também nas diversas especialidades, garantido nos ambulatórios do GHC. O serviço, que prestou cerca de 39 mil consultas em 2007, garante a condição do trabalhador ser cuidado dentro do ambiente de trabalho, evitando que ele precise buscar atendimento fora da instituição.

Linha de Cuidado da Saúde Mental
A necessidade de integração e articulação dos profissionais da Saúde Mental fez com que, após o mapeamento e a dinâmica de funcionamento dos diversos serviços (CAPS II Adulto , CAPS Álcool e Drogas, Unidade de Internação Psiquiátrica, Serviço de Saúde Comunitária, Hospital Fêmina, Hospital Conceição e Hospital Cristo Redentor e Equipe de Interconsulta do Município), tivesse a proposta da constituição da Linha de Cuidado da Saúde Mental. A partir da formação do grupo gestor a ser nomeado pela direção, com representantes de todos os serviços, será elaborado um plano de ação com base em documento norteador, com ênfase na formação e capacitação dos profissionais, integração entre os serviços e as linhas existentes e fortalecimento da necessidade de regulação pelo gestor municipal para a regionalização dos serviços de Saúde Mental.

Linha de Cuidado do Adolescente
Tem como objetivo a atenção integral à saúde de adolescentes e de jovens, de 10 a 19 anos, no âmbito de uma política nacional integrada, visando à promoção de saúde, à prevenção de agravos e à redução da morbimortalidade. Para isso, realiza ações no sentido de capacitar a assistência com o treinamento técnico, aprimoramento profissional, trabalhando com a especificidade de cada profissional. Envolvido no processo de atendimento de adolescentes em toda a rede pública de saúde nos diferentes níveis de atenção. Visa também às ações interdisciplinares entre diferentes instituições de saúde e da sociedade para abarcar os diversos níveis de intervenção que promovam a melhora e auxiliem na cura ou na manutenção de doenças numa estabilidade, podendo minimizar recaídas dos quadros patológicos ou as sistemáticas buscas de atenção médica. Partindo de uma compreensão do conceito de saúde que leva em consideração a pluralidade de realidades que compõem a vida do adolescente, o GHC inclui também ações que preparam o adolescente para a vida de trabalho desde os programas de estágio e o Jovem Aprendiz.


9. Parto Regionalizado

Com o sistema da regionalização do parto, os hospitais Fêmina e Conceição estão integrados à gestão municipal, sendo referência nas áreas ginecológica e obstétrica para as unidades básicas de saúde das regiões de sua abrangência. A regionalização aumenta o vínculo da população com a rede SUS, amplia o acesso às consultas e direciona o fluxo da assistência pela proximidade domiciliar. Além disso, ela reforça a rede de serviços SUS, qualifica o acolhimento e a regulação de consultas especializadas.


10. Rede Cegonha

A Rede Cegonha é uma estratégia inovadora do Ministério da Saúde que visa implementar uma rede de cuidados para assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo e a atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério e às crianças o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e ao desenvolvimento saudáveis. Lançada em 2011, a iniciativa sistematiza e institucionaliza um modelo de atenção ao parto e ao nascimento que vem sendo discutido e construído no país deste os anos 90, com base no pioneirismo e na experiência de médicos, enfermeiros, parteiras, doulas, acadêmicos, antropólogos, sociólogos, gestores, formuladores de políticas públicas, gestantes, ativistas e instituições de saúde, entre muitos outros. Trata-se de um modelo que garante às mulheres e às crianças uma assistência humanizada e de qualidade, que lhes permite vivenciar a experiência da gravidez, do parto e do nascimento com segurança, dignidade e beleza. Não se pode esquecer jamais que dar à luz não é uma doença ou um processo patológico, mas uma função fisiológica e natural que constitui uma experiência única para a mulher e o(a) parceiro(a) envolvido(a). Através da ampliação do acesso e da melhoria da qualidade do pré-natal, da vinculação da gestante à unidade de referência e ao transporte seguro, da implementação de boas práticas na atenção ao parto e nascimento, incluindo o direito ao acompanhante de livre escolha da mulher no parto, da atenção à saúde das crianças de 0 a 24 meses e do acesso às ações de planejamento reprodutivo.


11. Saúde em Casa

O Programa Saúde em Casa, em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre, tem como objetivo garantir que os usuários possam receber atendimento e tratamento em seu próprio domicílio. A equipe de atendimento é multidisciplinar, incluindo médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, contando também com consultoria de outras áreas. Uma das maiores vantagens dessa alternativa de assistência é proporcionar à pessoa doente um cuidado qualificado junto ao convívio familiar, sem o estresse de um ambiente hospitalar e com a redução dos riscos de infecção. Outro benefício é oferecer uma atenção mais humanizada e personalizada, proporcionando recuperação mais rápida, além de aumentar a oferta de leitos nos hospitais para os casos mais complexos.


12. Urgência e Emergência

As redes de urgência e emergência funcionam seguindo a lógica da regionalização e adotam uma linguagem única nos pontos de atenção. A rede é integrada por hospital, unidade básica de saúde, unidades de atenção intermediária, centro de enfermagem, atenção domiciliar, hospital/dia, ambulatório especializado, governança, sistema de logística e sistema de apoio operacional. A linguagem única da rede, representada por protocolos de classificação de risco e linhas-guia, é quem determina a estruturação e a comunicação dos pontos de atenção, apoio operacional e logística. As redes de urgência e emergência permitem que os hospitais se dediquem à sua verdadeira vocação, que é atender a casos realmente graves e encaminhar para a atenção primária situações que podem ser resolvidas nas Unidades Básicas de Saúde. Essa forma de organização diminui em até 50% a mortalidade por causas como infarto, acidente vascular cerebral e trauma maior.

O objetivo da Rede de Urgência e Emergência não é levar o paciente para o hospital mais próximo, mas sim:


  • Encaminhar corretamente o paciente

  • Ao ponto de atenção certo

  • Pronto para atenção mais eficaz

  • No menor tempo possível


O que reduz a mortalidade e sequelas dos pacientes e custos do serviço de saúde.

Todos os pacientes receberão o atendimento necessário; alguns casos que não representarem urgência poderão ser encaminhados para unidades básicas de saúde e haverá no Pronto Socorro um funcionário específico para fazer este encaminhamento. Caso o paciente opte pelo atendimento no Pronto Atendimento, ele receberá os cuidados de acordo com a cor em que se enquadrar.
SOS Emergências
O Programa SOS Emergências, do Ministério da Saúde, é uma ação estratégica para qualificar a gestão, ampliar o acesso aos usuários em situação de urgência e garantir atendimento ágil e humanizado. O Hospital Conceição é um dos doze hospitais brasileiros que integra o programa e assumiu o desafio de enfrentar a superlotação da Emergência. Veja algumas das medidas já adotadas:

Classificação de risco dos pacientes: uma equipe especializada é responsável pelo diagnóstico e pelo encaminhamento dos pacientes de acordo com a gravidade de cada caso. Também foi organizada a gestão de leitos, o fluxo de internação e a implantação de protocolos clínico-assistenciais e administrativos.

Novos profissionais: a Emergência passou a contar com fisioterapeuta, nutricionista, mais uma assistente social, médico neurologista e dois cirurgiões vasculares. Ainda é importante destacar que está sendo realizada novamente a trombólise (destruição de coágulos) no acidente vascular encefálico isquêmico agudo. O objetivo é reduzir as mortes ou graves sequelas que envolvem esses casos. 

Leitos de retaguarda para o GHC: parceria entre o GHC, a prefeitura de Canoas e o Hospital Mãe de Deus, está disponibilizando 100 leitos de retaguarda no Hospital Universitário de Canoas (HU) para pacientes do Hospital Conceição, com o objetivo é reduzir a ocupação da Emergência. 

Criação do Núcleo Interno de Regulação (NIR): grupo de profissionais que fazem a regulação dos leitos para pacientes agudos, definindo o leito de retaguarda mais adequado para cada caso, seja no Hospital Universitário de Canoas, seja nos hospitais do município de Porto Alegre ou no próprio Hospital Conceição. 

Readequação de fluxo: pacientes internados nos leitos de retaguarda do Hospital Conceição são acompanhados por médicos das especialidades, proporcionando maior resolução dos casos.

Reforma na Emergência: atualmente estão sendo feitas obras para qualificar a área física do serviço e resolver problemas estruturais no local.

Inauguração da UPA Moacyr Scliar
A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Moacyr Scliar, localizada na Zona Norte de Porto Alegre, apresenta importante resultados na assistência aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) da Capital e Região Metropolitana: ampliou o acesso da população aos serviços de saúde de maneira geral, em aproximadamente 10%, além de ter reduzido o tempo de espera e permanência, principalmente na Emergência do Hospital Conceição. Com atendimento durante as 24 horas, tanto nos dias de semana quanto aos domingos e feriados, nas áreas clínica, cirúrgica e pediátrica, a UPA dispõe de seis consultórios e 22 leitos de observação, 12 para adultos, quatro pediátricos, dois de isolamento e quatro para situações emergenciais. A unidade, inaugurada em 28 de setembro, foi planejada para atender casos considerados de menor gravidade e que não oferecem riscos imediatos à vida dos pacientes. Para isso, mantém uma equipe de 176 profissionais do GHC. Além de médicos, conta com odontólogos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e assistentes sociais. A capacidade de atendimento é de uma média de 450 pessoas por dia. A UPA Moacyr Scliar adotou a classificação de risco como forma de priorizar os casos mais graves, evitando o atendimento por ordem de chegada. A ordem de atendimento é realizada em função da gravidade da situação. A Unidade está localizada na Praça Ernest Ludwig Hermann, próxima ao Triângulo, na esquina da Avenida Assis Brasil com a Rua Jeronymo Zelmanovitz.

Hospital Cristo Redentor
Especializada em Traumatologia e Ortopedia, O . É conhecida como Pronto Socorro da Zona Norte de Porto Alegre e atende somente pelo SUS. Presta atendimento imediato de atenção a traumas, conforme classificação de risco, que preconizará o tempo de espera para cada atendimento. Atende vítimas de acidentes de trânsito, acidentes domésticos, quedas, queimaduras e agressões.

Hospital da Criança Conceição
O Serviço de Emergência atende a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), 24h por dia, ininterruptamente. Pacientes graves, encaminhados por outra Instituição de Saúde, SAMU, Corpo de Bombeiros, etc. são atendidos prioritariamente. Para os demais pacientes que procuram o HCC, utiliza-se o sistema de acolhimento com classificação de risco, com a prioridade de atendimento pela gravidade/necessidade.