Grupo Hospitalar Conceição
Definição de Auditoria Interna

A Estrutura Internacional de Práticas Profissionais (International Professional Practices Framework - IPPF), do Global Institute of Internal Auditors (IIA), é a base para a atuação das Auditorias Internas no Brasil e define Auditoria Interna como:


Uma atividade independente e objetiva de avaliação (assurance) e de consultoria, desenhada para adicionar valor e melhorar as operações de uma organização. Ela auxilia uma organização a realizar seus objetivos a partir da aplicação de uma abordagem sistemática e disciplinada para avaliar e melhorar a eficácia dos processos de gerenciamento de riscos, controle e governança.

Assim, o objetivo da Auditoria Interna é apoiar a organização no desempenho efetivo de suas funções e responsabilidades, fornecendo-lhe análises, apreciações, recomendações, pareceres e informações relativas às atividades examinadas.


Com base em riscos organizacionais, a Auditoria Interna do GHC auxilia na promoção de controles internos adequados, a fim de propiciar o aprimoramento da Governança, agregando valor à organização.


Segundo o IIA, a atividade de auditoria interna deve avaliar a adequação e a eficácia dos controles em resposta aos riscos, abrangendo a governança, as operações e os sistemas de informação da organização, com relação a:


» Alcance dos objetivos estratégicos da organização;
» Confiabilidade e integridade das informações financeiras e operacionais;
» Eficácia e eficiência das operações e programas;
» Salvaguarda dos ativos;
» Conformidade com leis, regulamentos, políticas e procedimentos e contratos.


A Auditoria Interna no GHC


No organograma do Grupo Hospitalar Conceição, a Auditoria Interna encontra-se assim disposta:



Missão


Agregar valor ao GHC utilizando-se dos instrumentos de avaliação e consultoria, preconizados nas normas internacionais de auditoria do Instituto dos Auditores Internos Global (IIA), visando atuar nos principais riscos e controles que possam afetar as estratégias e objetivos organizacionais, tendo como premissa basilar a ética.


Visão


Constituir-se como unidade de referência em Auditoria Interna no Brasil, baseando sua atuação em normas internacionais e nacionais de Auditoria, de forma a aprimorar as técnicas com base em riscos e agregar maior valor à organização.


Valores


Comportamento Ético:


Atuar com base em rigorosos preceitos éticos, segundo os princípios de Integridade, Objetividade, Confidencialidade e Competência. A Auditoria Interna do GHC observará o Código de Ética do Instituto dos Auditores Internos Global - IIA, bem como o Código de Ética e Conduta do Grupo Hospitalar Conceição e das respectivas profissões.


Respeito ao Ser Humano:


Pautar a atuação junto às áreas do Grupo e aos usuários dos serviços prestados com respeito aos princípios constitucionais e demais normas.


Comprometimento:


Alinhar a atuação aos objetivos estratégicos do GHC, sem perder o foco na entrega de serviços de qualidade ao usuário da Saúde Pública.


Cooperação:


Trabalhar em equipe de forma colaborativa visando o crescimento individual e coletivo.


Independência:


Zelar pela independência que, segundo o IIA, “é a imunidade quanto às condições que ameaçam a capacidade da atividade de auditoria interna de conduzir as responsabilidades de auditoria interna de maneira imparcial. Para atingir o grau de independência necessário para conduzir eficazmente as responsabilidades da atividade de auditoria interna, o executivo chefe de auditoria tem acesso direto e irrestrito à alta administração e ao conselho. Isto pode ser alcançado através de um relacionamento de duplo reporte”.


Objetividade:


Zelar pela objetividade, que segundo o IIA, “é uma atitude mental imparcial que permite aos auditores internos executarem os trabalhos de auditoria de maneira a confiarem no resultado de seu trabalho e que não seja feito nenhum comprometimento da qualidade. A objetividade requer que os auditores internos não subordinem a outras pessoas o seu julgamento em assuntos de auditoria. As ameaças à objetividade devem ser gerenciadas nos níveis do auditor individual, do trabalho de auditoria, funcional e organizacional”.


Proficiência (Eficiência):


“Os auditores internos devem possuir o conhecimento, as habilidades e outras competências necessárias ao desempenho de suas responsabilidades individuais. A atividade de auditoria interna deve possuir, ou obter, coletivamente o conhecimento, as habilidades e outras competências necessárias ao desempenho de suas responsabilidades”, além disso “Os auditores internos devem aperfeiçoar seus conhecimentos, habilidades e outras competências através do desenvolvimento profissional contínuo.” (IIA Brasil).


Legalidade:


O trabalho da Auditoria deve ser pautado pela observância das normas legais e jurisprudencial do Brasil.


Principais Atividades


A Auditoria Interna do Grupo Hospitalar Conceição atua a partir de duas formas básicas:


Avaliação:


São trabalhos de auditoria realizados a partir de um planejamento focado em riscos organizacionais. Estes riscos são identificados a partir da experiência dos auditores internos e por meio de informações coletadas junto aos gestores e responsáveis pelos macroprocessos, à Diretoria e aos Conselhos (Administração, Fiscal e Gestor). Este planejamento chama-se Plano Anual de Auditoria Interna – PAINT.


A partir da identificação de macroprocessos/processos mais relevantes para a Auditoria Interna, as equipes estudam e buscam entender seu funcionamento, para depois planejar de forma mais profunda uma auditoria específica. Logo em seguida iniciam-se as coletas de informações para avaliação, a partir de critérios definidos no planejamento. Esta etapa envolve, geralmente, visitas aos gestores/responsáveis. Por fim, é gerado um Relatório, em versão preliminar, que é enviado para a manifestação dos gestores/responsáveis, onde poderão ser agregadas informações relevantes, justificativas, etc. Ao final, a Auditoria analisa todas as informações e gera o Relatório Final, que também é enviado a Diretoria e, se envolver riscos relevantes, aos Conselhos de Administração e Fiscal.


Cada relatório conterá um Plano de Ação, contendo as recomendações acordadas, os prazos de ação e as áreas responsáveis. Os Planos de Ações serão monitorados constantemente pela Auditoria Interna.


Consultoria:


A Consultoria materializa-se por intermédio de: eventos, palestras, cursos, encontros técnicos, facilitações (Control self – Assessement) e outras formas, preservando a independência e objetividade da Auditoria.